Skip to main content

Trigo: quais os prejuízos das doenças na lavoura?

A cultura pode sofrer com o ataque de patógenos em diferentes fases de desenvolvimento do ciclo. Por isso, controlá-los de forma eficaz é essencial para assegurar a produtividade

Publicado 22-07-2021 19:04:45

Linkedin Whatsapp
Lavoura de trigo

O trigo é um cereal de inverno e, muitas vezes, o seu cultivo é marcado pelo ataque de doenças, que se manifestam na lavoura em decorrência de fatores ambientais como a variação de clima e umidade do ar, entre outras condições favoráveis ao desenvolvimento de patógenos.

São muitas as doenças que atacam o trigo e em diferentes fases do ciclo da cultura, já que as condições climáticas ideais para a triticultura também favorecem a ocorrência de patógenos. Fora isso, as condições ambientais de cada região também tornam o manejo complexo.

Por isso, o investimento em cultivares resistentes é fundamental para evitar danos à lavoura e, consequentemente, à qualidade dos grãos e à produtividade. A melhor forma de realizar um manejo eficaz é conhecendo as características de cada doença para, assim, aplicar as ferramentas mais adequadas, que proporcionem sanidade à cultura.

As principais doenças do trigo

Identificar as principais ameaças da triticultura e promover o manejo adequado para evitar infestações é essencial para manter uma lavoura vigorosa e produtiva. Quando o controle das doenças do trigo é realizado no início da infestação, o impacto econômico relacionado à queda na produtividade é minimizado.

Mancha-bronzeada-da-folha

(Drechslera tritici-repentis)

Características                                                                                                       

  • Uma das principais manchas foliares do trigo.                                                       
  • Ocorre com intensidade em sistema de plantio direto com monocultura.             

Sintomas         

  • Os primeiros sintomas aparecem logo após a emergência da cultura.
  • As lesões elípticas podem atingir até 12mm, ocasionando a necrose da folha.

Mancha-bronzeada-da-folha

Ferrugem-da-folha

(Puccinia triticina)

Características                                                                                                       

  • Ferrugem mais comum na cultura do trigo.                                                           
  • Pode comprometer em até 50% o rendimento de grãos.                                       

Sintomas         

  • Aparece desde as primeiras folhas até o amadurecimento da planta.
  • Forma pústulas teliais pretas, ovais e que são recobertas pela epiderme.

Ferrugem-da-folha

Ferrugem-do-colmo

(Puccinia graminis)

Características                                                                                                                 

  • A infestação causa perdas severas.                                                                       
  • Pode gerar prejuízos de até 100% na lavoura se não for controlada no início.                                                                                                                                      

Sintomas

  • A primeira manifestação se dá por manchas puntiformes e levemente amareladas.
  • Conforme vão aumentando, elas rompem a epiderme e causam um segundo tipo de frutificação, negra e alongada.

Ferrugem-do-colmo

Agir de maneira preventiva é a forma mais eficaz de proporcionar um bom desenvolvimento da cultura. Sendo assim, monitorar a lavoura e detectar os sintomas de cada doença logo ao início pode ser decisivo para um melhor controle. Nesse sentido, a escolha de um bom fungicida é essencial para essas situações.

Fungicidas para trigo: como controlar as doenças

Além das boas práticas agrícolas e do monitoramento da lavoura, o triticultor precisa escolher um fungicida para fazer o controle das doenças do trigo, tanto de maneira preventiva como após a manifestação dos sintomas.

Atenta aos prejuízos que as doenças podem causar à cultura do trigo, a Syngenta desenvolveu Priori Xtra®, fungicida sistêmico indicado para o controle de doenças e que proporciona efeitos fisiológicos às plantas, promovendo um incremento em qualidade e produtividade na lavoura.

Priori Xtra® conta com diferenciais que se traduzem em resultados superiores no controle de doenças, como:

  • Amplo espectro: controle das principais doenças do trigo em uma única solução;

  • Eficiência: a formulação tem sistemicidade e rapidez na translocação, e oferece uma proteção completa às plantas contra o ataque dos patógenos;

  • Controle superior: o efeito residual prolongado deixa a lavoura protegida por mais tempo.

A utilização preventiva de Priori Xtra®, ou seja, antes mesmo de as doenças aparecerem, contribui para a sanidade da lavoura e ajuda o produtor a alcançar maiores rendimentos, maximizando os lucros com a produtividade do trigo.

Conte com a Syngenta em todos os momentos do desenvolvimento do ciclo e com um portfólio completo e robusto de produtos para auxiliar o melhor manejo e ajudar a agricultura brasileira a atingir patamares cada vez mais elevados.

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta