Skip to main content

Manchas foliares: uma ameaça à produtividade da soja

O uso de um fungicida eficiente ajuda a prevenir as manchas foliares, doenças capazes de reduzir drasticamente a rentabilidade da lavoura

Publicado 15-12-2021 17:39:04

Linkedin Whatsapp
Soja

A cultura da soja é uma das mais expressivas no Brasil, já que o nosso país é o maior produtor e exportador do grão. Para a safra 2021/22, algumas regiões já estão com o plantio da safra consolidado, enquanto em outras os produtores aguardam as chuvas para iniciar o processo de semeadura.

As expectativas são bastante otimistas, com um aumento de 8,6% na produção em comparação ao ano anterior, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Apesar disso, a soja pode sofrer danos durante todo o seu ciclo com o aparecimento de doenças capazes de comprometer seriamente a produtividade e, consequentemente, o retorno financeiro dos agricultores.

Além da conhecida ferrugem asiática, provocada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, o produtor também deve permanecer atento às manchas foliares, já que essas doenças são capazes de prejudicar severamente a lavoura. Para prevenir o ataque dos patógenos, é essencial adotar medidas eficientes de manejo.

Doenças que acometem a cultura da soja

Para a melhor tomada de decisão em relação às ferramentas de manejo contra fungos na soja, é importante conhecer as principais doenças que incidem nas lavouras, assim como os sintomas que as plantas apresentam.

Antracnose

Antracnose

A antracnose é uma doença silenciosa, provocada por fungos do gênero Colletotrichum, que ataca diretamente os órgãos reprodutivos da planta, causando a queda das flores e das vagens. Como consequência, reduz o rendimento dos grãos e a qualidade das sementes e pode afetar até 30% da produtividade.

Ela desenvolve-se principalmente em ambientes úmidos e de temperaturas entre moderada e alta. Áreas com alta densidade de plantas costumam concentrar mais umidade, tornando-se ainda mais propícias para o ataque do fungo causador da antracnose.

Entre os sintomas, podemos citar a morte das plântulas, o surgimento de manchas de coloração escura nas folhas, hastes e vagens, a deterioração das sementes e a aparência retorcida das vagens infectadas.

Septoriose

Septoriose

Também conhecida como mancha-parda, essa doença é causada pelo fungo Septoria glycines e tem a ocorrência favorecida em ambientes quentes e úmidos. É facilmente disseminada pelo vento e pode ser conduzida de uma folha para outra por gotas d’água.

O principal sintoma é o surgimento de pontos pardos nas folhas da cultura, que evoluem e formam manchas com halos amarelados e centro de cor castanha.

Capaz de infectar a lavoura em qualquer fase de desenvolvimento, a septoriose pode provocar a desfolha e a maturação precoce, comprometendo a qualidade dos grãos e a produtividade.

Oídio

Oídio

Causada pelo fungo Microsphaera diffusa, oídio é uma doença bastante comum na cultura da soja, favorecida principalmente pela baixa umidade e por temperaturas entre 18⁰C e 24⁰C, que se desenvolve em toda a parte aérea da planta.

Seu principal sintoma é a formação de uma fina cobertura esbranquiçada, constituída de micélio e esporos pulverulentos do fungo. Quando esses pontos cobrem as folhas da planta, impedem a fotossíntese.

Trata-se de uma doença que preocupa os agricultores, pois pode provocar perdas de até 20% de produtividade, além de haver fácil dispersão dos esporos e ocorrer em qualquer estádio de desenvolvimento da lavoura.

Cercosporiose

Cercosporiose

É uma doença provocada pelo fungo Cercospora kikuchii e afeta a soja principalmente no final do ciclo, sendo mais comum em regiões úmidas e quentes do cerrado.

Essa doença pode atacar todas as partes da soja, provocando o surgimento de pontos escuros nas folhas, que coalescem e formam grandes manchas. Como consequência, ocorre a desfolha prematura e o aparecimento de manchas castanho-avermelhadas nas vagens.

As sementes afetadas pela C. kikuchii apresentam o sintoma conhecido como mancha-púrpura da semente, com a produção de grãos de baixa qualidade. Sem o manejo correto, a cercosporiose pode provocar a redução de 20% da produtividade.

Como proteger a soja das manchas foliares?

A aplicação de soluções fungicidas no momento correto é uma estratégia eficiente de manejo para prevenir a contaminação das lavouras pelos patógenos causadores de doenças, protegendo a cultura da soja.

Recomenda-se que essas aplicações sejam feitas no estádio reprodutivo da cultura. Nessa fase, um bom fungicida consegue evitar a ação dos fungos, promove proteção eficiente para a lavoura e contribui para que a cultura consiga atingir sua máxima capacidade produtiva.

Conheça a solução da Syngenta

Para auxiliar o produtor na proteção da lavoura, Syngenta desenvolveu Alade®, o único fungicida que conta com três ativos de alta eficácia em sua composição, capazes de maximizar o controle dos fungos causadores de doenças na soja. Observe:

  • Solatenol: carboxamida moderna com alta capacidade de aderência e de penetração nas folhas;

  • Ciproconazol: triazol que apresenta alta mobilidade, extremamente eficiente no controle da ferrugem asiática;

  • Difenoconazol: outro ativo do grupo dos triazóis, bastante eficaz no controle de oídio, antracnose e manchas.

O efeito sinérgico obtido dessa combinação faz com que Alade® tenha um amplo espectro de ação, agindo de maneira eficaz na proteção contra diversas doenças que atacam a lavoura de soja, contando com uma formulação moderna.

Conheça alguns dos benefícios dessa solução:

  • Consistência: maior espectro de controle do mercado;

  • Máxima proteção: melhor efeito preventivo com Solatenol;

  • Dupla ação sistêmica: sinergia entre dois triazóis seletivos e de alta performance;

  • Conveniência: tecnologia empowered control, que eleva o controle.

Tudo isso em uma formulação exclusiva que proporciona maior retenção, espalhamento e translocação do produto na planta, resultando em uma ação imediata.

Recomenda-se que as aplicações de Alade® sejam feitas no estádio reprodutivo da cultura, no pré-fechamento das linhas. Geralmente esse período ocorre 45 dias após a emergência das plantas.

Infográfico

Alade® protege a lavoura, não só contra a ferrugem asiática, como também contra outras doenças como oídio, septoriose, antracnose e cercosporiose, trazendo maior tranquilidade ao produtor.

Confira o portfólio completo da Syngenta, para conhecer as demais soluções que vão ajudar você a proteger todo o esforço e o dinheiro investidos na lavoura.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os artigos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

 

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta