Skip to main content

Cana: qual a importância do herbicida pós-emergente?

As plantas daninhas podem causar sérios prejuízos em produtividade e, por isso, o manejo pós-emergente é recomendado como medida complementar

Publicado 13-12-2021 18:59:59

Linkedin Whatsapp
Canavial

As plantas daninhas são um problema frequente na agricultura, capazes de acarretar sérios prejuízos à produtividade. Com a cana-de-açúcar não é diferente: a matocompetição pode prejudicar o desenvolvimento saudável das plantas, além de elevar os custos de produção e prejudicar a colheita.

O rápido crescimento das plantas daninhas e a resistência de algumas espécies a herbicidas, exigem que o produtor adote medidas de manejo integrado para o controle dessas invasoras. Dentro desse cenário, o controle químico com a aplicação do herbicida pós-emergente funciona como uma estratégia complementar ao pré-emergente, ao impedir o crescimento de daninhas no campo.

Por que realizar o manejo pós-emergente na lavoura de cana?

A cana-de-açúcar é uma cultura que pode ser plantada em três épocas distintas: em sistema de ano-e-meio (completa seu ciclo entre 16 e 18 meses), sistema de ano (ciclo de 12 meses) e plantio de inverno (plantada em período de estiagem).

Uma das vantagens dessas épocas diferentes para o plantio é o abastecimento da indústria e a moagem durante praticamente o ano todo. Por conta disso, o manejo de daninhas torna-se um desafio para que o desenvolvimento da cultura não seja afetado.

Por isso, é importante planejar as estratégias de manejo, integrando as medidas de controle, a fim de tornar o sistema de cultivo desfavorável às daninhas.

Entre as estratégias adotadas no controle de plantas daninhas na cana, estão:

  • Preparo adequado do solo antes do plantio;

  • Utilização de variedades adaptadas às condições climáticas da região;

  • Adequação do espaçamento de plantio;

  • Rotação de culturas;

  • Controle mecânico;

  • Condução de soqueiras para o rápido perfilhamento;

  • Operação quebra-lombo em cana-planta.

Além disso, o manejo deve contemplar o controle químico, a começar pela aplicação de herbicidas pré-emergentes e, posteriormente, o uso de herbicidas pós-emergentes, capazes de complementar essas ações com foco no melhor resultado para o desenvolvimento da cana livre de daninhas.

Plantas daninhas da cana-de-açúcar

A matocompetição é um dos grandes problemas causados pelas plantas daninhas na cultura: competir por água, luz, espaço e nutrientes proporciona uma redução significativa em produtividade, podendo levar a um decréscimo na longevidade do canavial.

As daninhas também podem servir como hospedeiras de pragas e doenças, e sua interferência pode causar alterações fisiológicas na cana-de-açúcar e gerar um impacto direto na qualidade da matéria-prima destinada à produção de açúcar e etanol.

Entre as principais daninhas de folhas estreitas e folhas largas que prejudicam a cana, estão:

Corda-de-viola (Ipomoea spp.): é uma planta invasora muito comum em canaviais, adapta-se facilmente a qualquer tipo de solo e apresenta um ciclo de 100 a 120 dias na lavoura, também interferindo na colheita.

Merremia (Merremia cissoides): é uma trepadeira desprovida de gavinhas, com flores grandes e que dificulta a colheita, principalmente por se enrolar nas plantas do cultivo.

Capim-colchão (Digitaria nuda): é uma erva daninha com grande capacidade reprodutiva, podendo produzir mais de 100 mil sementes por planta.

É muito importante realizar o controle pós-emergente dessas espécies, e a utilização de produtos que contenham amplo espectro – tanto para daninhas de folhas estreitas quanto para as de folhas largas – é bastante interessante.

Flexibilidade do herbicida pós-emergente

Quando se fala em controle químico, é importante ressaltar que a escolha de um herbicida pós-emergente eficaz e de fácil aplicação é fundamental para que se possa atingir os resultados esperados no controle de plantas daninhas.

Optar por uma tecnologia flexível, com múltiplos benefícios, faz a diferença na lavoura, pois além de poder ser aplicada independente da época de cultivo, o controle de plantas daninhas poderá ser feito em etapas, contribuindo com a demanda de trabalho ao maquinário e à mão-de-obra, diluindo a concentração do produto na utilização dos meios de produção.

Outro fator relevante é que as plantas daninhas possuem diferentes padrões de germinação e desenvolvimento, o que pode acarretar em vários fluxos durante todo o ciclo da cultura. Isso reforça ainda mais a necessidade de optar por um herbicida flexível.

Herbicida pós-emergente para todas as situações da cana

Pensando nas necessidades do canavicultor em ter um herbicida pós-emergente flexível para todas as situações, a Syngenta desenvolveu Calipen® SC, que conta com uma formulação inovadora para o controle de plantas daninhas.

Calipen® SC é versátil na cultura da cana-de-açúcar e pode ser aplicado tanto na cana-planta como na cana-soca, sendo eficiente em todos os momentos da cultura, com alta seletividade e excelente resultado. Além disso, o herbicida pode ser utilizado em aplicação aérea, o que facilita o manejo, conforme demonstração do infográfico a seguir:

Posicionamento Calipen

Outros benefícios de Calipen® SC são:

  • Controle: amplo espectro de controle para folhas largas e estreitas

  • Conveniência: praticidade por ser uma mistura pronta

  • Eficácia: alto nível de eficácia em menor dosagem, podendo ser usado em diferentes tipos de bicos

  • Flexível: não limita o produtor, pois pode ser aplicado em diferentes momentos e condições climáticas variáveis

  • Seletividade: atinge as plantas invasoras sem prejudicar a cana-de-açúcar

  • Formulação otimizada: garante boa distribuição e retenção do ingrediente ativo nas superfícies de folhas hidrorrepelentes.

  • Economia: baixa dosagem e menor volume de embalagens.

As plantas daninhas apresentam maior sensibilidade ao produto no estádio inicial de desenvolvimento, com 2 a 4 folhas, e o efeito sobre as invasoras se manifesta de 3 a 5 dias após a aplicação, por meio do branqueamento do meristema apical e das folhas mais jovens que se tornam necróticos posteriormente.

Uma lavoura limpa e produtiva depende de um bom manejo realizado em todas as fases de desenvolvimento da cultura. Conheça o portfólio completo de produtos Syngenta, que conta com tecnologias capazes de auxiliar o produtor a superar os desafios diários do campo, alavancando a agricultura a patamares cada vez mais elevados.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os artigos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

 

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta