Skip to main content

Cana: fique atento ao ataque de pragas na lavoura

Com alto potencial destrutivo na lavoura, as pragas da cana podem comprometer toda a produtividade da safra se o controle não for realizado no momento certo

Publicado 21-09-2021 12:24:40

Linkedin Whatsapp
Cana-de-açúcar

A cana-de-açúcar é uma cultura de grande importância na agricultura nacional, com produtividade estimada em 628,1 milhões de toneladas na safra 21/22, de acordo com dados divulgados pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

No entanto, o canavicultor deve ficar atento ao ataque de pragas, pois se não forem controladas no momento certo, os prejuízos podem impactar diretamente a qualidade da matéria-prima e, consequentemente, a rentabilidade da produção.

Pragas que podem comprometer a produtividade

Dentro do complexo de pragas da cana-de-açúcar, algumas das principais espécies que se destacam pelo alto grau de destruição na lavoura são:

Cigarrinha-das-raízes (Mahanarva fimbriolata)

Devido à mudança do sistema manual de colheita para o sistema mecanizado, a cigarrinha-das-raízes surgiu como uma praga extremamente agressiva na lavoura de cana. Isso porque a colheita da cana crua deixa uma espessa camada de palhada na área produtiva, contribuindo assim para sua infestação.

Os prejuízos maiores ocorrem quando a praga está na fase de ninfa, pois se alimenta da seiva nutritiva da planta e injeta toxinas em suas raízes, que são prejudiciais ao desenvolvimento da cultura. Vivem na base do colmo, protegidas por uma espuma que evita a sua desidratação.

Os adultos vivem na parte aérea da planta, sugando os colmos. A praga pode comprometer o processo de fotossíntese da cana, causando redução do teor de açúcar, além de secar e amarelar as folhas e causar a morte dos colmos, diminuindo a produtividade da lavoura.

Cigarrinha-das-raízes

Bicudo-da-cana (Sphenophorus levis)

É uma praga que ataca, principalmente, durante períodos chuvosos, podendo levar a perdas de até 90% da produção. Por se desenvolver nas soqueiras, dificilmente é atingida pelos inseticidas, além de sobreviver na palhada após a colheita.

As larvas do bicudo da cana se alimentam dos rizomas e destroem os tecidos das plantas, enquanto os adultos destroem as raízes e os toletes, afetando diretamente a germinação e, consequentemente, o desenvolvimento da cana-de-açúcar.

Bicudo-da-cana

Inseticida para controle multipragas na cana

Não conte com a sorte na hora de manter as pragas longe do seu canavial. É necessário adotar as boas práticas agrícolas e o controle químico, com um inseticida multipragas, que deixe o seu canavial livre delas.

Atenta aos prejuízos que as pragas podem causar na cana-de-açúcar, a Syngenta conta com Engeo® Pleno S em seu portfólio, inseticida de ação superior no controle multipragas na cultura da cana.

A fórmula de Engeo® Pleno S conta com a Tecnologia Zeon, que preserva o ingrediente ativo em microcápsulas, controlando sua liberação, o que faz com que o inseticida fique aderido à planta por mais tempo. Assim, possibilita obter os melhores resultados com um menor número de aplicações.

Além disso, a solução da Syngenta apresenta outros diferenciais, como:

  • Efeito de choque: a solução paralisa os movimentos da praga e bloqueia sua alimentação em poucas horas, proporcionando rápida ação;

  • Residual prolongado: oferece maior tempo de proteção para o campo, devido à liberação controlada de ativos;

  • Amplo espectro: uma única solução no controle das pragas mais ameaçadoras da cultura da cana.

Confira na videobula de Engeo® Pleno S as recomendações necessárias para aplicar o produto na cana-de-açúcar:

A Syngenta desenvolve soluções que contribuem com o manejo assertivo na rotina diária do campo, do início ao fim do ciclo da cultura. Conheça o portfólio completo de produtos e veja como extrair o máximo em produtividade da sua lavoura.

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta