Skip to main content

Ocorrência de lagarta falsa-medideira preocupa produtores de soja

Foram constatados casos recentes de ataques da espécie Rachiplusia nu em áreas produtoras de soja no país, indicando a necessidade de adotar medidas que controlem a praga na safra 21/22

Publicado 03-12-2021 16:28:42

Linkedin Whatsapp
Lavoura de soja

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo!

As lagartas que causam desfolha na cultura da soja são velhas conhecidas dos produtores, devido aos inúmeros prejuízos que podem causar na produtividade das lavouras pelo Brasil. Recentemente, uma descoberta verificou a ocorrência de uma nova espécie de lagarta falsa-medideira, chamada Rachiplusia nu, preocupando os sojicultores pelos ataques constatados em áreas produtivas de todo país.

Quais as características da Rachiplusia nu?

Historicamente, a ocorrência da espécie Rachiplusia nu era limitada aos estados da região Sul do Brasil e à Argentina, no entanto, a lagarta já foi detectada em outros estados do país.

Por ser um tipo de lagarta falsa-medideira, tem alto poder de proliferação e de destruição na cultura, podendo se desenvolver, inclusive, em outras plantas hospedeiras, como feijão, tomate e fumo devido à sua característica de polifagia.

As lagartas dessa espécie são bem parecidas com a C. includens, porém podem ser diferenciadas por algumas características morfológicas. O lado interno da mandíbula da Rachiplusia nu não apresenta dentes, ou seja, sua carena interna é contínua até a borda externa da mandíbula. Já a C. includens apresenta a face interna de suas mandíbulas com dois dentes.

A coloração das pernas da Rachiplusia nu é mais escura em comparação com a outra espécie de falsa-medideira. Além disso, outro aspecto que podemos destacar é que a R. nu possui microespinhos na região superior à inserção das três pernas torácicas e,além disso, nos ínstares maiores, nota-se que as lagartas de R. nu apresentam cor verde de tonalidade mais escura e com maior movimentação nas folhas em comparação a C. includens. Observa-se também que a R. nu, possui um maior índice de consumo foliar em um mesmo espaço de tempo.

Rachiplusia nu 1

Em relação às diferenças morfológicas da pupa entre as espécies Rachiplusia nu e C. includens, podemos observar na imagem abaixo que a Rachiplusia nu possui a cor mais escura, em tom marrom quase preto, enquanto que C. includens apresenta a coloração marrom-esverdeada, uma característica também de outras espécies de falsas-medideiras.

Rachiplusia nu 2

A R. nu, quando adulta, apresenta a parte dorsal e central do segundo par de asas na cor castanho-clara e com a borda externa castanho-escura. Outro ponto que pode ser observado é que a mancha na região central do primeiro par de asas não é tão brilhante como em C. includens.

Rachiplusia nu 3

Para evitar que os prejuízos tomem grandes proporções na lavoura ao comprometer a produtividade da soja, é extremamente necessário evitar a dispersão dessa espécie com medidas adicionais de monitoramento e controle dentro do MIP (Manejo Integrado de Pragas), mantendo o alto potencial produtivo das plantas.

Veja no infográfico as principais características da Rachiplusia nu na soja:

Infográfico

Orientações de manejo

Diante desse cenário, a forma mais eficiente para evitar prejuízos causados pela lagarta desfolhadora Rachiplusia nu é adotar boas práticas agrícolas que fazem parte do MIP, como as áreas de refúgio, que mantêm as biotecnologias funcionando, além da aplicação de tecnologias inovadoras para um manejo assertivo contra a praga.

Nesse sentido, algumas boas práticas recomendadas são:

  • tratamento de sementes;

  • monitoramento constante da lavoura;

  • rotação de culturas;

  • plantio de refúgio estruturado (soja não Bt);

  • controle químico com inseticidas de alta eficácia.

Vale ressaltar que, no caso do manejo químico, é fundamental que o produtor escolha um inseticida eficaz no controle de pragas, seguindo sempre as recomendações da bula e a orientação de um engenheiro agrônomo para a melhor tomada de decisão.

INFLUX™ para controle das espécies de lagartas falsa-medideira

INFLUX™ é o novo inseticida da Syngenta que controla todo o complexo de lagartas na soja, inclusive a falsa-medideira.

O produto conta com ação de choque devido à combinação de dois poderosos ingredientes ativos de grupos químicos distintos – o benzoato de emamectina e o lufenuron –, ambos eficientes no controle de lagartas.

INFLUX™ ainda apresenta os seguintes diferenciais:

  • Maior potência de controle: alta performance e ação de choque no controle de todo o complexo de lagartas;

  • Ação translaminar: o inseticida transloca dentro das folhas e é eficaz inclusive contra as lavagens das chuvas, além de um excelente período de controle das lagartas;

  • Tecnologia VISIQ™: retarda a fotodegradação do produto, permitindo que a solução tenha maior tempo para a absorção pelas folhas e consequentemente maior residual.

Aliar as boas práticas agrícolas ao amplo espectro de INFLUX™ é uma estratégia assertiva para evitar que esse novo problema da ocorrência da espécie Rachiplusia nu atinja níveis alarmantes na safra 21/22.

Confira o vídeo técnico completo sobre INFLUX™ e veja como o inseticida da Syngenta age na lavoura de soja:

 

Conte sempre com o portfólio completo de produtos Syngenta, que está à disposição do agricultor para auxiliar no manejo adequado e eficiente, superando os desafios diários do campo, em todas as fases de desenvolvimento da cultura.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os artigos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta