Skip to main content

Café: como evitar o ataque da cigarra-do-cafeeiro

A praga é uma das mais agressivas para a cultura e pode comprometer a produtividade se não controlada. Saiba mais sobre essa espécie e os principais métodos de controle

Publicado 02-12-2021 16:18:21

Linkedin Whatsapp
Café

O café é uma cultura que faz parte não só da história do Brasil, mas também é parte fundamental do agronegócio brasileiro, considerada atualmente um dos cultivos mais importantes em termos econômicos para o país. Quando falamos em economia nesse processo produtivo, é preciso destacar que o manejo dos cafezais é algo delicado, pois demanda condições edafoclimáticas específicas e cuidados ao longo de todo o ciclo da cultura, com atenção especial ao manejo de pragas e doenças.

De acordo com o Valor Bruto da Produção (VBP) divulgado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), que tem como base estudos realizados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e preços médios recebidos pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), a receita bruta total estimada para os cafés do Brasil em 2021 é de R$ 38,6 bilhões de faturamento.

Para não perder produtividade no caso de infestação de pragas, o produtor deve realizar o controle a tempo, antes que os altos índices populacionais causem sérios danos à cultura.

Felizmente, as estratégias de controle evoluíram ao longo das décadas, de maneira que, nos dias atuais, há técnicas sofisticadas e precisas para o manejo de espécies como o bicho-mineiro (Leucoptera coffeella), que preocupam muito os cafeicultores. Outros insetos, como a cigarra-do-cafeeiro (Quesada gigas), têm chamado a atenção nas lavouras por serem pragas silenciosas e que podem causar inúmeros prejuízos.

Por que o produtor deve se preocupar com a cigarra-do-cafeeiro?

Os primeiros relatos de ataque da cigarra-do-cafeeiro no Brasil foram datados por volta de 1900, em diversas regiões, como o Cerrado Mineiro, Sul de Minas e Matas de Minas. É um inseto que pertence à ordem hemiptera e são sugadores com metamorfose incompleta. Por serem polífagos, alimentam-se de diversas culturas e são as ninfas que causam os maiores danos ao sugar a seiva nutritiva das raízes.

Por isso, é considerada uma praga silenciosa: os sintomas de seus ataques serão identificados na falta de vigor das plantas, mesmo com a nutrição sendo realizada de forma adequada.

A cigarra-do-cafeeiro possui em torno de 5 a 7 cm, sendo que as fêmeas adultas depositam seus ovos nos ramos das plantas hospedeiras e, após a eclosão, as ninfas móveis migram para o solo. Quando estão totalmente desenvolvidas, elas abandonam o solo e vão deixando buracos em sua saída, fixando-se no tronco dos cafeeiros.

Entre os principais problemas causados pela cigarra-do-cafeeiro estão:

  • mau desenvolvimento das plantas;

  • sintomas identificados de forma tardia;

  • queda precoce de folhas;

  • má granação dos frutos;

  • perda de produtividade.

Nesse sentido, é importante saber como identificar a praga nos cafezais e saber quais as melhores ações de manejo para o controle da cigarra-do-cafeeiro.

Identificação e manejo da cigarra-do-cafeeiro

Como o ataque da cigarra-do-cafeeiro se dá abaixo do solo, é importante adotar algumas estratégias para identificar se a área está com alta infestação da praga.

Confira no infográfico abaixo quais medidas o produtor pode seguir:

Infográfico

Vale ressaltar que a adoção de boas práticas agrícolas, como o monitoramento constante e a aplicação de um inseticida de solo, é fundamental para o controle eficaz da cigarra-do-cafeeiro.

Inseticida de solo para o controle de cigarra-do-cafeeiro

O cafeeiro é uma planta perene, que pode se manter com alta produtividade por muitos anos, porém, é necessário cuidar de cada etapa do ciclo da cultura. Para isso, é necessário manejar as pragas de solo, que são um dos grandes desafios dos cafeicultores na manutenção dos seus cafeeiros a cada nova safra, visto que espécies como Q. gigas podem prejudicar a lavoura de maneira silenciosa, causando grandes danos que refletem diretamente na produção.

Entre as melhores ferramentas usadas para controlar a infestação desse tipo de praga está a aplicação de inseticida via solo. O mercado oferece soluções que proporcionam um amplo controle desses insetos, promovendo, ainda, ganhos em produtividade graças a efeitos fisiológicos benéficos às plantas. Além disso, ainda é possível contar com soluções prontas com a associação entre molécula inseticida e fungicida, promovendo ampla proteção ao cafezal.

Verdadero®: vigor nos cafeeiros longe da cigarra

Sabendo dos problemas em produtividade que o cafeicultores podem ter com a infestação de cigarra-do-cafeeiro, a Syngenta desenvolveu Verdadero®, inseticida de solo para a cultura do café que também tem ação fungicida, trazendo conveniência e alta performance no manejo no campo.

Além da cigarra-do-cafeeiro, Verdadero® também controla o bicho-mineiro (Leucoptera coffeella), uma das pragas de maior impacto no café, e a ferrugem-do-cafeeiro (Hemileia vastatrix), doença que traz grandes problemas ao desenvolvimento das plantas.

Essa ampla performance é possível pois Verdadero® traz a combinação de dois ingredientes ativos, o Tiametoxam, inseticida sistêmico do grupo químico dos neonicotinoides, e o Ciproconazol, molécula fungicida para o controle preventivo de ferrugem-do-cafeeiro.

Diante disso, Verdadero® é um produto tradicional entre os cafeicultores e está no portfólio da empresa há 20 anos, promovendo um controle consistente ao longo dessas duas décadas, contribuindo para a conquista de lavouras vigorosas e produtivas.

Outra vantagem do inseticida de solo da Syngenta é o efeito bioativador da formulação do cafezal, que proporciona incremento às plantas. além de benefícios, como:

  • maior produtividade no fim do ciclo;

  • melhor desenvolvimento das plantas;

  • aceleração na velocidade de proteção;

  • auxílio no sistema radicular e na parte área;

  • velocidade de brotação;

  • baixa toxicidez;

  • resistência às intempéries climáticas;

  • máximo potencial produtivo.

Assista ao vídeo do Café com TV – Syngenta Responde e veja o que diz Paulo Azevedo, DTM da Syngenta, sobre o ataque de cigarra-do-café nas lavouras e sobre como o inseticida de solo age no controle da praga.

Assim, fica evidente que um manejo assertivo durante todo o ciclo da cultura faz total diferença para a produtividade e para a rentabilidade, principalmente visando ao desenvolvimento de um cafezal vigoroso e livre de pragas. Por isso, conte com o portfólio de produtos da Syngenta, que tem tecnologias inovadoras para auxiliar o produtor no dia a dia no campo.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os artigos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

NAO TEM SEGUNDO BANNER

Conteúdos Relacionados

Quer receber mais conteúdos como esses?

Inscreva-se e fique por dentro das novidades sobre produtividade.

Canais Syngenta